06 jul

Sorriso: entenda como ele pode impactar a autoestima

Conhecido como o “cartão de visita” do rosto, o sorriso desempenha um papel fundamental em nosso dia a dia, pois é por meio dele que, muitas vezes, expressamos como nos sentimos e nos mostramos para o mundo. Assim, com tamanho protagonismo, o sorriso tem o poder de impactar a nossa autoestima de forma positiva ou negativa. A má posição dos dentes, por exemplo, além da questão estética, pode proporcionar uma série de problemas de saúde.

A assistente administrativa Juliana Lopes, hoje com 28 anos, sabe o que é passar por isso. Por anos, travou uma luta diária com o espelho, por conta de sua dentição torta, que muitas vezes gerou não só o julgamento das pessoas ao seu redor, como também a impediu de realizar ações comuns do cotidiano, como sorrir para fotos.

“Eu não era feliz, pois os meus dentes eram muito tortos e a mordida não se encaixava corretamente. Desde a adolescência, além de o meu próprio sorriso me incomodar, também sofri com as brincadeiras e os apelidos na escola, o que contribuiu para abalar a minha autoestima. Eu me sentia insegura até mesmo ao conversar com as pessoas”, afirma Juliana.

Juliana Lopes – Assistente Administrativa

Segundo o Dr. Edmilson Pelarigo,  ortodontista e fundador da Orthodontic, o caso de Juliana não é incomum. “No consultório, alguns pacientes relatam que costumam esconder o sorriso com as mãos, por constrangimento”. O especialista ressalta que fatores como bullying e insegurança com a própria imagem podem ocasionar a privação do individuo ao convívio social. “Em casos mais graves e em longo prazo, pode haver até mesmo o aparecimento de outras doenças, como a depressão”, pontua.

Os problemas de saúde também eram parte da rotina da assistente. “Frequentemente, eu sentia dores no maxilar e na cabeça, que às vezes até me impossibilitavam de comparecer ao trabalho”. Juliana conta que chegou a associar a cefaleia com outras doenças, como a sinusite, mas, após uma série de exames, descobriu que o problema estava relacionado à sua mordida.

De acordo com o Dr. Pelarigo, as dores de cabeça são o problema mais comum ocasionado pela má oclusão – ou seja, quando não há o equilíbrio correto entre a arcada superior e a arcada inferior -, mas a condição ainda pode proporcionar outros males, como o de mastigação, em que os alimentos não são digeridos e, como consequência, absorvidos da forma correta pelo organismo.

Após a realização do tratamento ortodôntico, finalizado há um ano, Juliana conta que a sua vida mudou. “Hoje, sou completamente feliz! O meu sorriso se transformou e eu recuperei a minha autoestima. Realizei todo o processo no tempo correto e já enxergava mudanças positivas nos primeiros meses de tratamento. Agora, sempre que tenho a oportunidade, sorrio!”.

O especialista esclarece que o tempo necessário para o tratamento ortodôntico irá depender da análise individual do paciente, que é feita por meio de consultas, exames e documentações. “A colaboração do paciente, na assiduidade às consultas para realizar as manutenções, também é parte fundamental de todo o processo, que visa, além de transformar sorrisos, devolver a autoestima e a qualidade de vida dos pacientes”, declara.

*Dr. Edmilson Pelarigo é ortodontista e fundador da Orthodontic, empresa que oferece tratamentos de qualidade a um preço acessível para a população.