16 jun

Ressecamento vaginal: conheça as causas e sintomas

Em algumas fases da vida, a mulher pode ter problemas com a falta de lubrificação vaginal, e isto pode gerar problemas na vida sexual e principalmente emocional. O ressecamento atinge principalmente mulheres que estão na menopausa ou pós-parto, e a principal razão é a redução na produção do estrogênio, hormônio feminino, pelo organismo. Outro motivo para a falta de lubrificação são os tratamentos contra o câncer, como quimioterapia e radioterapia, que também afetam a produção do estrogênio.

Os principais incômodos desencadeados pelo ressecamento vaginal são coceira, queimação ou irritação na vagina, diminuição da elasticidade e dores durante as relações sexuais. Algumas mulheres utilizam de lubrificantes para o alívio dos sintomas, entretanto a solução é temporária e não resolve a principal causa do problema.

Para entendermos um pouco mais sobre o assunto e tirar dúvidas, conversamos com o ginecologista e obstetra, Dr. Rogério Bonassi Machado. Confira abaixo!

ressecamento-vaginal

Ter um simples ressecamento vaginal pode ser sintoma de algo mais sério? Quais doenças?

Não. O ressecamento vaginal é uma consequência da baixa produção de estrogênio pelo organismo. Normalmente ocorre em algumas fases da vida da mulher, como por exemplo na amamentação e na menopausa. Outras situações referem-se ao uso de alguns medicamentos ou tratamentos, como a quimioterapia ou a radioterapia.

Qual a porcentagem de mulheres na menopausa atingidas pelo ressecamento?

No primeiro ano da menopausa mais de 20% das mulheres sofrem com o ressecamento vaginal. Após o terceiro ano o percentual ultrapassa 45%, o que pode interferir na saúde sexual e qualidade de vida dessas mulheres.

Existe alguma maneira de ser evitado?

Sim. A prática de atividade sexual regular colabora com o aumento do fluxo de sangue para a vagina que promove a lubrificação e evita o ressecamento. A terapia de reposição hormonal começada na época certa (logo no início da menopausa) é também um fator protetor do ressecamento vaginal. No entanto, nem todas as mulheres podem usar a terapia hormonal.

Quais dicas médicas podem ser dadas para as mulheres que sofrem com o problema?

É importante que as mulheres saibam que o ressecamento vaginal não é algo normal, e precisa de atenção para que não evolua para um quadro mais sério. Para aliviar os sintomas, as opções são o uso de lubrificantes no momento da relação ou de hidratantes intravaginais, que podem ser utilizados em qualquer momento do dia e restauram a lubrificação natural. Os estrógenos locais, como o promestrieno e o estriol, também podem ser utilizados.

DR-Rogério-Bonassi-Machado*Dr. Rogério Bonassi Machado é professor adjunto da disciplina de Ginecologia do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ). Na mesma instituição é professor permanente do curso de pós-graduação – mestrado acadêmico em Ciências da Saúde, atuando na linha de pesquisa de saúde da mulher. Concluiu doutorado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP – Escola Paulista de Medicina) em 2003, e mestrado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, em 1999. Especialista em ginecologia e obstetrícia pela Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), com aperfeiçoamento em ginecologia endócrina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Tem experiência na área de medicina, com ênfase em ginecologia endócrina, climatério e anticoncepção hormonal, atuando principalmente nos seguintes temas: anticoncepção hormonal, TRH, menopausa, climatério e osteoporose.