Caso real: descobrindo e convivendo com o câncer

Caso real: descobrindo e convivendo com o câncer

Minha vida sempre foi normal. Uma mulher de 40 anos, realizada profissionalmente, casada, feliz. Tinha acabado de realizar meu grande sonho de ser mãe. E tudo transcorria muito bem. Adoro ler, viajar, caminhar, bater papo com minhas irmãs e amigas e sair com meu marido.

21 de Setembro: Dia Mundial do Alzheimer

21 de Setembro: Dia Mundial do Alzheimer

O dia 21 de setembro é considerado o dia mundial do Alzheimer, uma doença que possui estágio inicial silencioso. Segundo dados do Instituto Alzheimer Brasil, hoje já são mais de 1,3 milhões de pessoas atingidas em nosso país.

Câncer de endométrio: estudo mostra que o uso da pílula anticoncepcional pode evitá-lo

Câncer de endométrio: estudo mostra que o uso da pílula anticoncepcional pode evitá-lo

Uma pesquisa publicada no último mês de agosto no The Lancet Oncology envolveu 27 mil mulheres com câncer endometrial e outras 115 mil pacientes saudáveis.

De acordo com os dados do estudo, o grupo de mulheres que usaram o anticoncepcional com regularidade tiveram redução de 25% de risco de ter a doença. Segundo os cálculos na publicação, 400 mil casos de câncer de endométrio foram prevenidos nos últimos 50 anos no mundo, 200 mil só nesta última década.

anticoncepcional
Para o médico oncologista Fernando Cotait Maluf, diretor do Instituto Vencer o Câncer, o câncer de endométrio é um dos tumores ginecológicos mais frequentes, principalmente em mulheres após a menopausa, em geral acima dos 60 anos. Apenas 20%, ou menos, das mulheres com câncer de endométrio estão na fase de pré-menopausa. Menos de 5% estão abaixo dos 40 anos de idade. “O câncer de endométrio é um tumor altamente curável na maioria das mulheres”, avalia.

Os agentes infecciosos como o HPV não desempenham um papel relevante no surgimento desse tipo de câncer, os fatores de risco para o câncer de endométrio são diferentes daqueles para o câncer do colo uterino.

Fernando Maluf explica que nos ciclos menstruais normais, a produção do hormônio progesterona controla os efeitos do estrógeno e protege o endométrio. No entanto, existem situações que rompem esse equilíbrio hormonal e permitem que o estrógeno exerça ação continuada sobre o endométrio, provocando proliferação anormal de suas células.

“Exemplos dessas situações incluem o uso de medicamentos (reposição hormonal e tamoxifeno, este último usado em câncer de mama) e a chegada mais tardia da menopausa”, avalia o médico.

Fatores de risco que provocam o câncer de endométrio: obesidade, terapia de reposição hormonal, hipertensão arterial e diabetes, nuliparidade (nenhuma gravidez durante a vida), dietas ricas em gordura animal, história familiar de câncer ginecológico e hiperplasia do endométrio.

O oncologista alerta ainda que a pílula anticoncepcional só deve ser usada com orientação médica.

Mais informações: vencerocancer.com.br