30 mar

Violência não resolve: campanha alerta contra as agressões e ameaças aos profissionais de saúde

“Pesquisa mostra que a maioria dos profissionais de saúde já sofreram algum tipo de violência física ou verbal”

A saúde brasileira, principalmente a rede pública de atendimento, enfrenta diariamente sérios problemas de falta de estrutura, sobrecarga, falta de profissionais e lotação. Tudo isso contribui para deixar a população insatisfeita com o atendimento e muitas das vezes, os profissionais de saúde são os mais cobrados nestas situações. Em alguns casos, eles acabam sendo vítimas de violência e ameaças por parte de pacientes ou parentes dos doentes.

De acordo com estudo divulgado pela Campanha Contra Violência realizada pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CREMESP) e o Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (COREN-SP), 17% dos médicos sofreram algum tipo de violência. Dentro destes casos, 20% foram relatados como agressão física e 70% dos ataques partiram do próprio paciência. Além disto, o estudo ainda mostra que 47% dos médicos tiveram conhecimento de episódios de violência ocorrido com algum colega de trabalho.

campanha-violência-não-resolve-1

Violência contra profissionais de enfermagem

O mesmo triste cenário também é relatado entre os profissionais de enfermagem, sendo que 32% deles já sofreram ou presenciaram alguma situação de violência no ambiente de trabalho. Ainda, 81% deles descrevem que a violência partiu dos próprios pacientes ou acompanhantes, e que 71% destas agressões foram verbais e 20% físicas.

campanha-violência-não-resolve

Por isso, objetivo da Campanha Contra Violência é conscientizar a população sobre a importância do respeito ao profissional de saúde. A proposta é incentivar a mudança de atitude para coibir atos violentos dentro das unidades de saúde, e destacar que a violência não resolve e não contribui para a melhoria do atendimento aos pacientes necessitados.

Os conselhos CREMESP E COREN-SP, que assinam a campanha, pedem mais respeito aos profissionais de saúde, cujo trabalho é indiscutivelmente fundamental à manutenção da vida.

Participe da campanha mostrando o seu apoio aos profissionais de saúde nas redes sociais através da hashtag #violencianaoresolve.

Para mais informações acesse: http://goo.gl/q3hTtH

*Publieditorial.