10 set

Eu preciso de terapia?

Muitas pessoas não procuram a terapia por desconhecerem os benefícios que ela pode proporcionar.

Todos nós estamos sujeitos a passar por diversas dificuldades ao longo da vida. Muitas vezes damos conta dos desafios do dia-a-dia sozinhos, mas outras vezes não. Em certos momentos as dificuldades cotidianas podem ser tornar grandes demais, interferindo em um ou mais aspectos da vida. É então chegada a hora de procurar por alguém que possa ajudar.

O profissional da psicologia atua como um parceiro e facilitador do cliente no processo de reconhecimento, reconstrução e aquisição de novos comportamentos, pensamentos e sentimentos. Por meio de técnicas específicas e de uma relação de confiança, profissional e cliente tem a oportunidade de construir juntos caminhos de saúde e realização.

Terapia-PsicologoSendo assim, por que se deve fazer terapia?

Para mudar pensamentos, sentimentos e comportamentos que impedem você de levar uma vida mais funcional, saudável e feliz.

Quando não se deve fazer terapia?

• Quando você quer encontrar um culpado para os seus problemas.
• Quando você quer terceirizar para o terapeuta a completa solução dos seus problemas.
• Quando você não mudar.

Como se dá o processo terapêutico?

A terapia acontece em horários e dias previamente agendados. As sessões duram entre cinquenta minutos uma hora. O dia e o horário da terapia devem ser encarados como um compromisso que o cliente tem com ele mesmo e com seu processo de aprendizagem e de mudança.

A periodicidade dos encontros é importante para que cliente e terapeuta criem vínculo de confiança, porém, o sucesso da terapia não está necessariamente relacionado à frequência com que as sessões acontecem. A terapia bem aproveitada é aquela no qual o cliente sente-se motivado a promover mudanças na sua vida.

O pagamento das sessões tem duas funções: remunerar o profissional pelo trabalho prestado e livrar você do peso por ter compartilhado suas sobrecargas. O terapeuta não está fazendo um favor a você. Esse é o trabalho dele.

Você pode falar sobre o que quiser durante a sua sessão. Fale abertamente sobre qualquer assunto que julgar importante. O terapeuta não está ali para te julgar ou elaborar críticas sobre sua pessoa.

O terapeuta deve ser visto como um facilitador da sua mudança e da aquisição de novos comportamentos. Ele não é o responsável pelo seu processo de melhora. O terapeuta sugere “o remédio”, mas quem bebe ou deixa de bebê-lo é o cliente!

Confie na capacidade e na motivação do seu terapeuta para te ajudar. Ele estudou pelo menos cinco anos para fazer o que faz e te falar o que fala. Se você discute alguma mudança ou técnica em sessão, coloque-a em prática no seu dia-a-dia. Lembre-se que o “remédio” só faz efeito se introduzido no seu organismo. Somente acreditar que a técnica funciona não a torna necessariamente mais eficaz.

A sua relação com o terapeuta é uma amostra de como você se relaciona com as pessoas e diz da forma como você interage com o mundo. Os temas desagradáveis que forem conversados durante a terapia são essencialmente importantes. Eles alertam sobre áreas de dificuldades e sobre potenciais de melhora.

Terapia não é massagem. A maioria das sessões são difíceis e dolorosas. Achar aquilo que causa angústia não necessariamente diminuiu o sentimento de mal estar. Insight sem trabalho duro não muda a vida de ninguém. Você vai dar conta de quase tudo que quiser, basta estar motivado.

O desligamento da terapia deve ser conversado com o profissional, mesmo que o motivo seja ele mesmo. Dar fechamento às etapas da vida é importante. Não busque resultados imediatos e a qualquer preço. Você provavelmente demorou muito tempo para construir o seu atual repertório de comportamento. Não há problema em demorar alguns meses para mudá-lo.

Os resultados da terapia aparecem quando você entende que mudar é a única opção e que essa mudança só pode ser feita por você mesmo. A mudança deve acontecer na sua forma de pensar, sentir e agir sobre o mundo. Sem essa mudança interior, você só muda os personagens, mas permanece no mesmo jogo.

Os detalhes são importantes para o seu terapeuta. Tenha paciência com aquela avalanche de perguntas. Pense com calma sobre o assunto que foi conversado durante a sessão. Esse é um momento importante na sua vida, não o desperdice.

Não tenha receio de criar dependência do terapeuta. Durante algum tempo, um bom e forte vínculo entre vocês é muito importante. Posteriormente, esse vínculo vai naturalmente se afrouxando. Não espere do seu terapeuta respostas que estejam além do alcance humano. Ele é gente como você. Confie no trabalho que vocês estão construindo e conte com o seu terapeuta. Ele se importa com você e vibra a cada conquista sua.

Gabriela L. Campos
Psicóloga CRP 04/34225
(37) 3201-2375 (37) 8809-2629