29 jan

Alergias respiratórias

“Saiba o que são e como evitar”

Quem sofre de alergia respiratória sabe o quanto ela é incomoda, atrapalhando no sono, apetite e sentidos como o olfato. E ela é mais comum do que imaginamos, pois acontece com cerca de 30 a 40% das pessoas no mundo. De acordo com o médico alergologista, Dr. Alexandre Okamori, as alergias se manifestam de diferentes maneiras, e entre os principais sintomas estão a tosse, chiado no feito, coriza, espirros, falta de ar e outros.

Um dos principais fatores agravantes e provocadores da alergias podem estar dentro da nossa própria casa, como a poeira e os ácaros que vivem especialmente nos quartos, e em lugares com sombra e umidade. Além disto, o ar seco e poluição podem prejudicar ainda mais quem possui uma alergia respiratória.

Alergias respiratorias

O médico explica que dentre as mais conhecidas alergias respiratórias estão a renite e a asma. “No caso da renite ocorrem as corizas, entupimento do nariz, perda de olfato, vermelhidão, lacrimejamento, e os importurnos espirros. Já a asma tem como característica a falta de ar, chiado, cansaço e tosse. Pessoas que possuem renite ou asma devem evitar estar perto de mofo, pelos de animais, pó e até mesmo produtos com cheiros fortes”, afirma.

Dr. Alexandre ainda detalha que em alguns casos é necessário o uso de medicamentos antialérgicos para o alívio dos sintomas. “Por isso é necessário consultar um especialista, somente ele poderá identificar o tipo de alergia e qual o melhor medicamento para aquela situação. E o automedicamento é um risco, um remédio que é bom para a alergia da sua prima, nem sempre terá o mesmo resultado com você e ele pode provocar até mesmo sequências mais graves” completa.

E dentre os medicamentos mais usados no tratamento da alergia estão os que contém anti-histamínicos, substância responsável por bloquear a ação da histamina que é liberada nos casos de alergia. Já a associação de anti-histamínicos com corticóides podem provocar um ganho de peso. “Isso acontece pois eles aumentam a retenção de líquido no corpo, e o apetite. O que recomendo é evitar o uso destes medicamentos por longos períodos”, diz.

Dicas

  • Para evitar as alergias respiratórias é recomendável evitar o uso de roupas de cama e cortinas sintéticas. Opte pelas laváveis e de algodão, mantenha sempre um ciclo de troca.
  • Evite bichos de pelúcia, pois neles se acumulam poeiras e ácaros.
  • Evite que os animais convivam dentro dos quartos, pois eles podem deixar pelos que provocam a alergia.
  • Deixe sempre o chão limpo, varrendo ou aspirando. E depois passe um pano úmido com água sanitária para tirar o resto da poeira. A água sanitária ajuda redução da proliferação de fungos.

*Dr. Alexandre Okamori é alergologista na Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.