Sem tempo para academia? Melhore a saúde do seu coração caminhando

Sem tempo para academia? Melhore a saúde do seu coração caminhando

A prática diminui em 9,3% o risco de desenvolver uma doença cardiovascular

Para algumas mulheres que não têm tempo, trabalham fora, cuidam da casa e dos filhos, separar um momento para fazer exercícios é sempre complicado. Para resolver este problema uma dica é a caminhada, um exercício sem contraindicação, que pode ser praticada em qualquer lugar e por qualquer pessoa. Além de democrática, a caminhada é considerada a melhor atividade para o coração, por ser amena e estimular o batimento cardíaco.

Segundo a Associação Americana do Coração, a prática diminui em 9,3% o risco de desenvolver uma doença cardíaca, reduz em 4,3% a probabilidade de apresentar colesterol alto e em 7,2% o risco de sofrer de hipertensão.

Durante uma caminhada, os vasos sanguíneos ficam mais relaxados e dilatados, facilitando a circulação e diminuindo a pressão arterial. Desta forma, o coração trabalha com menos resistência, o que diminui o risco de problemas como infarto e AVC. A atividade também ajuda a controlar os níveis de colesterol no corpo. Ela não só diminui a produção de gorduras ruins (LDL) – que pode resultar em problemas como a aterosclerose, um acúmulo de gordura nas artérias que obstrui a passagem de sangue – como também age elevando os níveis de HDL, o chamado colesterol bom, essencial para o funcionamento do organismo.

caminhada-faz-bem-ao-coracao

Outro fator de risco para doenças cardíacas, que também pode ser regulado através da caminhada, é o diabetes. Isso ocorre porque a produção de insulina, substância que absorve a glicose nas células, aumenta durante a pratica deste exercício, uma vez que a atividade do pâncreas e do fígado é estimulada.

Apesar da caminhada ser uma atividade mais amena, um estudo da Associação Americana do Coração, publicado no periódico “Asteriosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology”, mostrou que caminhar tem os mesmos efeitos que correr na redução dos riscos de doenças cardíacas. Segundo os especialistas, caminhar e correr desenvolvem o mesmo grupo de músculos.  Além de proteger o coração, ela também beneficia pulmão e ossos. As trocas gasosas que ocorrem durante a respiração passam a ser mais poderosas quando se caminha com frequência, facilitando a limpeza do pulmão, dilatando os brônquios e prevenindo algumas inflamações das vias aéreas.

A movimentação dos ossos durante uma caminhada faz com que haja maior quantidade de estímulos elétricos, chamados piezelétrico, que facilitam a absorção de cálcio, deixando os ossos mais resistentes e menos propensos a desenvolverem osteoporose. Além disso, pessoas que caminham também controlam melhor o peso.  Segundo uma pesquisa da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, a atividade aumenta o gasto energético, queimando gorduras localizadas. E mesmo após a atividade, a pessoa continua a emagrecer, devido à aceleração do metabolismo.

Setembro Vermelho

As doenças cardiovasculares matam 17,5 milhões de pessoas ao ano no mundo todo – esse número representa 31% de todas as mortes no planeta. De cada três mortes, uma é causada por doença cardiovascular. Elas são a principal causa de morte em pessoas de 40 aos 65 anos e responsáveis por 20% de todos os óbitos em adultos acima dos 30 anos. O Brasil está entre os 10 países com mais mortes por doenças cardiovasculares. Em nosso país elas também são a primeira causa de mortes e o número de óbitos chega a 350 mil em um ano. A principal doença é o derrame, seguido pelo infarto e pressão alta.

image004

Para fazer frente à essa epidemia silenciosa, o Instituto Lado a Lado pela Vida realiza o terceiro ano da campanha Setembro Vermelho – Siga o seu Coração. Em dois anos de realização consecutiva, o movimento ampliou seu alcance e intensificou suas ações, realizando uma extensa programação por todo Brasil. A mobilização acontece durante o ano inteiro, e se intensifica durante o Setembro Vermelho, com ações dedicadas à adoção de estilo de vida mais saudável.

“Queremos mostrar para a população, através de ações e conteúdos, que a prevenção é um estilo de vida que se deve adotar desde criança e que muitas das doenças do coração são genéticas, mas outras são adquiridas. Por isso, comer bem, praticar exercícios, diminuir o estresse e consultar o médico periodicamente, entre outros hábitos simples, podem salvar o nosso coração”, explica a presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, Marlene Oliveira.

No site do Instituto Lado a Lado pela Vida é possível fazer o download das publicações sobre doenças cardíacas. O link é: ladoaladopelavida.org.br/download.

Quiropraxia: confira a entrevista com o especialista, Bernard Mattei

Quiropraxia: confira a entrevista com o especialista, Bernard Mattei

A quiropraxia é uma ciência que lida com o diagnóstico e tratamento de desordens da coluna. Ela foi desenvolvida por Daniel David Palmer em 1895, nos Estados Unidos. A profissão, que exige nível superior, é reconhecida cientificamente como a que obtém os melhores resultados no alívio das dores de cabeça, lombar e hérnias de discos, assim como melhorando a qualidade de vida de idosos, adultos jovens e crianças, mantendo a coluna vertebral saudável.

Confira o nosso vídeo entrevista sobre o assunto com o especialista, Bernard Mattei.

Filmagem e edição por: Bruna Araújo https://br.linkedin.com/in/brunaaraugio

Sexo: mais de 40% das brasileiras não conseguem atingir o orgasmo

Sexo: mais de 40% das brasileiras não conseguem atingir o orgasmo

A dificuldade de atingir o clímax durante a relação sexual pode estar relacionada a vários fatores diários, como estresse, nervoso, ansiedade, problemas profissionais e até mesmo físicos. De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, mais de 40% das mulheres brasileiras não atingem o orgasmo.

Segundo o estudo, uma das razões que explica essa dificuldade está atrelada ao fato de que, quase 50% das mulheres, não praticam a masturbação com frequência e 19,5% nunca nem experimentaram a prática. O que afeta os estímulos femininos e, por isso, a mulher acaba não conhecendo seu corpo e não consegue se comunicar com o parceiro sobre o que a motiva durante a relação.

mulheres-nao-conseguem-atingir-orgasmo

 

De acordo a ginecologista de São Paulo, Maria Elisa Noriler, o sexo faz parte de uma boa qualidade de vida e é importante que as mulheres se sintam confiantes para explorar este lado. Por isso, a especialista citou algumas dicas que podem te ajudar a melhorar a saúde sexual. Confira!

  1. Se conheça! – Utilize a prática da masturbação para conhecer o seu corpo, faz bem e permite se conhecer melhor e saber o que gosta;
  1. Aposte em suplementos naturais – Algumas ervas como a marapuama, manjericão, alecrim, catuaba, tribullus e vitaminas E e C aumentam a libido. “Além de aumentar a disposição e o apetite sexual, esses suplementos também são fitoterápicos (afrodisíacos) o que aumenta não só a libido, mas a potência sexual”, afirma a especialista.
  1. Faça exercícios – Atividades físicas regulares melhoram o fluxo sanguíneo, o que ajuda a acelerar a excitação;
  1. Fique atenta ao seu anticoncepcional – A pílula pode alterar os seus hormônios e prejudicar o prazer sexual. “É importante que a mulher vá a consultas com o ginecologista e analise o anticoncepcional utilizado. Muitas vezes, dependendo do organismo e da pílula, pode haver perda da libido”, afirma a médica.
  1. Controle o consumo de açúcar – Uma alimentação rica em açúcares afeta o organismo feminino e seus hormônios, o que faz eliminar substâncias e nutrientes que contribuem para o maior desejo sexual;
  1. Pense em sexo – Ao fazer isso, você envia estímulos ao cérebro de que está disposta e com vontade de praticar o sexo. Por isso, procure pensar mais no assunto;
  1. Consuma vinho – A bebida contém resveratol e polifenol, substâncias que estimulam o organismo a produzir estrógeno. Logo, aumenta o desejo sexual e intensifica as chances de acontecer um orgasmo.

“No geral, para ter uma boa saúde sexual, além de ficar atenta ao uso da camisinha, é importante seguir uma vida saudável. Ter uma alimentação balanceada, com pouca ingestão de açúcares e alimentos gordurosos, e praticar atividades físicas regularmente são fatores simples que influenciam também na vida sexual”, finaliza Maria Elisa.

Dra-Maria-Elisa-NorilerSobre a especialista: Dra. Maria Elisa Noriler é especialista em Ginecologia e Obstetrícia. Possui seu consultório particular em São Paulo-SP. Tem participação ativa em congressos médicos, simpósios e reuniões de discussões de casos clínicos. É médica preceptora de Ginecologia e responsável pelo setor de Ginecologia Endócrina InfantoPuberal e Climatério do Hospital Municipal Maternidade Escola de Vila Nova Cachoeirinha desde fevereiro de 2010. facebook.com/Dra.MariaElisaNoriler

Geração Mãe promove palestras on-line gratuitas

Geração Mãe promove palestras on-line gratuitas

Formar uma família e ter filhos pode ser uma das decisões mais importantes e bonitas na vida de alguém. Mas é também, sem dúvida, a mais difícil e a que exige maior responsabilidade. Ajudar nessa incrível jornada sempre foi o principal objetivo do Geração Mãe, rede de apoio mútuo na internet, de colaboração e troca de experiências entre mães de todo o país. E foi justamente pensando nesse apoio que o grupo organizou o primeiro Encontro On-line, entre 27 de setembro e 4 de outubro, com palestras totalmente gratuitas sobre temas pertinentes à maternidade e à criação dos filhos. Para participar é preciso se inscrever no site encontroonlinegeracaomae.com.br.

O objetivo, segundo a ginecologista e obstetra Flávia Maciel de Aguiar F. Mendonça, idealizadora do projeto Geração Mãe, é a divulgação de informações de qualidade que permitam que as mulheres possam se preparar para fazer escolhas sobre a gestação, o parto e todos os aspectos da maternidade de forma consciente, visando à inclusão de todos os níveis socioculturais. “Nós já realizamos rodas de gestantes, rodas de amamentação e bate-papos sobre criação de forma presencial nas cidades onde temos representantes de nossa equipe. Mas, como nosso grupo é nacional e temos mulheres de todas as regiões do Brasil participando ativamente das discussões nos grupos na internet, estamos organizando o encontro on-line”, explica.

As palestras on-line, que irão oferecer passos, dicas, práticas e técnicas em todas as áreas, da gestação ao pós-parto, serão ministradas por uma equipe de profissionais que atuam na assistência humanizada às gestantes, parturientes e puérperas.

Entre as palestrantes confirmadas estão as ginecologistas e obstetras Melania Amorim, que falará sobre como evitar uma cesárea desnecessária; Bernadette Bousada, que abordará o parto pélvico; e Flávia Junqueira, que vai dará uma palestra sobre sexualidade na gestação. Haverá ainda um bate-papo com doulas sobre as fases do trabalho de parto, os mitos e verdades sobre parto domiciliar e a rede de apoio no pós-parto; além de um debate envolvendo profissionais de saúde sobre atividade física durante a gravidez e ganho de peso nesta fase, além de dicas sobre como organizar o quarto do bebê e de como otimizar o guarda-roupa da mãe durante a gestação. A programação completa das palestras, com dia e horário de cada uma, está disponível no site geracaomae.com.br.

Sobre o Geração Mãe

Idealizado em 2011 pela ginecologista e obstetra Flávia Maciel de Aguiar F. Mendonça e por 16 amigas, todas grávidas na época, o Geração Mãe nasceu batizado como “Gravidinhas e Mãezinhas”, uma rede de apoio mútuo na qual elas poderiam se conectar umas às outras para falar sobre maternidade. Hoje rebatizado e reformulado, o Geração Mãe possui uma página no Facebook, aberta para todas as pessoas que queiram curtir e compartilhar informações referentes ao mundo da maternidade e dos filhos; um grupo fechado na mesma rede, no qual apenas mulheres podem participar e falar abertamente sobre assuntos ligados ao seu universo; e ainda um site, o geracaomae.com.br, considerado o mais completo portal de maternidade da web.

Geração-mãe

O endereço conta com 25 colunistas que escrevem sobre os mais diferentes temas e disponibiliza informações sobre parto, amamentação, criação e educação dos filhos, saúde da mulher e das crianças, paternidade, entre outros importantes assuntos.

Atualmente, o grupo Geração Mãe, em todos os seus canais, é um dos principais veículos brasileiros de informação sobre temas como parto, amamentação e maternidade.

As redes sociais e o site Geração Mãe são acessados por milhares de pessoas de todo o Brasil e dos quatro cantos do mundo. É possível conferir a página no Facebook pelo endereço www.facebook.com/geracaomae e solicitar a autorização para entrar no grupo de mulheres do Geração Mães pelo linkwww.facebook.com/groups/geracaomae/.

*Flávia Maciel de Aguiar F. Mendonça – CRM: 103074 – SP.  Médica formada na UFES (Universidade Federal do Espírito Santo), com residência em Ginecologia e Obstetrícia no HC- FMRP USP; sub especialista em reprodução humana e videolaparoscopia e histeroscopia. Mestre pela USP em Endometriose. Esposa do Rodrigo, mãe do Rodriguinho e da Bianca. Criadora e diretora do Geração Mãe, um portal sobre maternidade sob a ótica da humanização das relações, desde a gestação, parto e pós-parto, visando a saúde física e emocional do binômio mãe-filho, assim como o estreitamento dos vínculos familiares.

 

Conheça os 5 nutrientes que fortalecem o sistema imunológico

Conheça os 5 nutrientes que fortalecem o sistema imunológico

Gengibre e cítricos para gripes e resfriados, couve e feijão para anemia – cada um tem uma receita para aquele mal-estar, fraqueza ou falta de vitaminas. A verdade é que os alimentos são a maior fonte de proteção contra as doenças e manter um corpo protegido requer atenção, principalmente hoje em dia, com todas as ofertas de lanches rápidos e prontos que são consumidos frequentemente para “facilitar” nossa vida.

Frutas, verduras e legumes podem oferecer benefícios diferentes de acordo com sua cor, forma de preparo e propriedade. Nutrir o corpo com essas substâncias de forma balanceada ajuda a fortalecer o sistema imunológico, protetor e responsável pela manutenção da sua saúde. A nutricionista Thais Cardenas, membro do Comitê Científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, indica 5 nutrientes que dão mais força ao organismo e reforçam o sistema imunológico.

Alicina

A Alicina é um composto encontrado no grupo de vegetais chamado Allium, que inclui o alho, a cebola, alho-poró e a cebolinha. Parece que seus efeitos têm relação com a quantidade consumida, principalmente em estudos que avaliam o efeito protetor contra câncer colorretal. Por isso, pode-se incluir diariamente o alho como parte da alimentação.

Ácido elágico, alfa-linolênico e flavonóides

Os nomes são assustadores, mas esses compostos, encontrados nas nozes, as mais estudadas entre as amêndoas, podem combater o câncer. Os estudos ainda são pequenos, e principalmente em animais, e relacionados à proteção de câncer de próstata e mama. O ácido elágico é também encontrado na framboesa e no morango. No nosso intestino, esse ácido tem papel antioxidante e anti-inflamatório.

Quercetina

A Queroetina é um flavonóide presente, entre outros alimentos, na maçã, apresenta propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Além disso, a maçã é excelente fonte de vitamina C e é considerada uma das principais frutas antioxidantes, protegendo as células contra “estragos”, além de prevenir o crescimento de tumores. A maçã também pode ajudar no controle de peso: alguns estudos mostram que o hábito de consumo de 3 maçãs por dia reduz a ingestão de calorias (as fibras podem ajudar nesse quesito!) e favorece a perda de quilinhos indesejáveis.

nutrientes-fortalece-a-saúde

Licopeno

O Licopeno pe um fitoquímico presente no tomate, aquele que dá a cor vermelha a esse fruto e a demais que conhecemos. O licopeno também é um poderoso antioxidante e existem muitos estudos relacionados com a proteção ao câncer de próstata. No entanto, existem outras variáveis que devem ser consideradas quando se fala em câncer.

Ômega 3

O ômega 3 é tipo de gordura poli-insaturada, pode ser encontrada em fontes animais e vegetais. Cerca de metade da gordura da semente de linhaça está na forma de ômega.

Linhaça

A linhaça também é fonte de magnésio, manganês, tiamina e selênio. E existem estudos associados com a redução do colesterol (consumo de 3 a 7 colheres de sopa por dia). O ômega 3 pode diminuir a inflamação e trazer diversos benefícios. Mas ainda é preciso muitos estudos para concluir a quantidade, modo de consumo e fatores protetores, mesmo porque uma quantidade de 4 colheres de sopa de linhaça carrega consigo 150 calorias! Então nada de comer linhaça o dia inteiro!

Atenção

Não restrinja sua dieta! É importante o consumo de uma variedade de alimentos, principalmente os de origem vegetal. Temos muitas opções, vamos ser criativos e equilibrados! Nenhum alimento ou nutriente, isoladamente, pode nos ajudar a combater doenças e melhorar a imunidade. Apesar destes alimentos serem ricos em nutrientes e grandes protetores do corpo, é importante lembrar que uma dieta restritiva e sem a orientação médica pode causar efeito contrário, levando a diversas complicações.

Thais Cardenas*Thais Cardenas é Nutricionista e Mestre em Nutrição Humana pela USP e especialista em nutrição clínica pela ASBRAN. Membro do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, coordenadora clínica do serviço de nutrição e dietética e coordenadora administrativa da equipe multiprofissional de terapia nutricional do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

Colesterol alto: conheça quais são os riscos para o coração

Colesterol alto: conheça quais são os riscos para o coração

O colesterol ruim alto é um grande vilão quando a saúde.  De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Adelphi International Research, cerca de 80% da população brasileira não conhece os riscos do colesterol alto, e não sabem que ele pode ao longo do tempo causa problemas no coração, como entupimento de artérias e até mesmo ataques cardíacos.  

Segundo Patricia Cruz, nutricionista comportamental, o colesterol é um tipo de gordura presente nas principais membranas celulares. Cerca de 30% do colesterol são fornecidos pelos alimentos que ingerimos, os outros 70% são fabricados pelo nosso próprio organismo. Segundo a nutricionista, ele é um componente essencial das membranas.

A especialista ainda explica que uma alimentação errada e a falta de exercícios físicos são um dos os principais motivos que causam o colesterol alto e consequentemente os problemas de coração. “O ministério da saúde estima que as doenças cardiovasculares causem em média 800 mil mortes por ano no País”, afirma.

colesterol-alto

A função do colesterol

O colesterol é responsável por auxiliar na síntese de hormônios esteroides e vitamina D e ácidos biliares. Patrícia ainda revela que podemos contar com o colesterol do bem, o colesterol HDL, que é na verdade uma fração do colesterol total. Ele seria uma lipoproteína de alta densidade (HDL), na qual concentrações elevadas parecem proteger o coração. Alguns estudos mostram que o HDL remove o excesso de colesterol da placa aterosclerótica, retardando a sua formação.

Os riscos do colesterol

Patrícia explica que o colesterol elevado está associado a doenças cardiovasculares. A hipercolesterolemia(aumento da concentração de colesterol no sangue) aumenta o risco de aterosclerose, que é a formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias. Isso pode acabar resultando nacoronariopatia, que são as doenças das artérias coronárias.

Alimentação no combate ao colesterol

Através da alimentação é possível controlar o desenvolvimento do colesterol. Patrícia ensina que é preciso reduzir o consumo de gordura saturada (carne vermelha, queijos amarelos, bacon) e gordura trans (biscoito recheado, salgadinhos). Segundo a especialista, esses alimentos estão diretamente ligados ao aumento do colesterol. Além disso, é necessário aumentar o consumo de gorduras poliinsaturadas (óleos vegetais, castanhas do Pará e castanha de caju).

Alimentos podem promover um colesterol ruim mais baixo

  • Alimentos ricos em fibras:
  • pães integrais;
  • cereais integrais (aveia, farelo de trigo, linhaça);
  • arroz integral;
  • vegetais folhosos;
  • leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico, soja);
  • frutas.

Alimentos ajudam a ter um colesterol bom, melhor

Podemos introduzir na alimentação alimentos fontes de:

  • ômega 3 como peixes (sardinha, salmão);
  • frutas oleaginosas;
  • nozes principalmente.

 

Nutricionista-Patrícia-Cruz*Patrícia Cruz é nutricionista, especialista em Nutrição Clínica e em Nutrição em Pediatria e mestranda em Saúde Pública. Atua em São Paulo em consultório particular e em Personal Diet.

Saúde: grupo de pesquisa da UFMG lança livro grátis para desmistificar dúvidas sobre a alimentação

Saúde: grupo de pesquisa da UFMG lança livro grátis para desmistificar dúvidas sobre a alimentação

O Grupo de Pesquisas de Intervenções em Nutrição (GIN) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com o Ministério da Saúde desenvolveram o livro com o título “Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição – material de apoio para profissionais de saúde”.

De acordo com Mariana Carvalho de Menezes, coautora do material, nutricionista, mestre e doutoranda em Saúde e Enfermagem pela UFMG, o livro foi criado diante da necessidade de melhorar as ações de promoção da alimentação saudável e faz parte do projeto denominado PAAS – “Programa de Promoção da Alimentação Adequada e Saudável na Atenção Básica à Saúde”.

Segundo Mariana, atualmente existe uma grande repercussão do tema alimentação e uma alta quantidade de notícias veiculadas sobre dietas e o culto à beleza. Por isso é importante a população estar informada, para entender que “dietas da moda” não são necessariamente saudáveis e muitas vezes não possuem embasamento científico. “Essas dietas podem criar expectativas irreais relacionadas à velocidade e à quantidade de peso perdida. Além disso, podem causar deficiências nutricionais e potenciais riscos à saúde se conduzidas por um longo período”, afirma.

“A proposta do livro, que está sendo distribuído gratuitamente para a população e profissionais de saúde, é proporcionar acesso à informação sobre nutrição, desmistificando dúvidas sobre a alimentação. Nossa proposta é apoiar a autonomia de famílias e comunidades, facilitando o acesso ao conhecimento e contribuindo para que tomem decisões alimentares adequadas à sua realidade”, explica.

O livro pode ser baixado de graça através do link:

http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/desmistificando_duvidas_alimentacao.pdf

livro-desmitificando-duvidas-sobre-alimentação-e-nutrição

*O livro foi construído por pesquisadores do Grupo de Pesquisas de Intervenções em Nutrição (GIN) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com o Ministério da Saúde. O GIN constitui um grupo com características multidisciplinares, reconhecido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), envolvendo pesquisadores que participam de relevantes atividades de ensino e extensão na área de Nutrição com foco na alimentação saudável em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte – MG e Ministério da Saúde.